Mude a si mesmo, para aplicar a mudança nos outros!

Marketing Digital
Mude a si mesmo, para aplicar a mudança nos outros!

Olá, estamos aqui para mais uma reflexão.

Buscar o que existe em nosso inconsciente e entender como fazemos escolhas apenas racionais é uma tarefa difícil!

Quando nos é imposto escolher algo aleatoriamente, na maioria das vezes buscamos significados para essas decisões. Escolher algo sem pensar, pode nos levar a fazer escolhas inconscientes e essas escolhas inconscientes podem trazer a tona sensações que não estamos habituados a administrar dentro de nós. Se nos guiamos pela nossa razão, acabamos sendo manipulados pelas nossas crenças , que orientam nosso comportamento frente a diversas situações e muitas vezes fogem ao nosso propósito.

Entender o que está no inconsciente, onde as influências são apenas intuitivas pelo que vivemos e aprendemos sem saber, sem julgamento, apenas com a nossa essência, nos leva a buscar caminhos mais assertivos e a tomada de decisões mais precisas sobre cada propósito em nossas vidas.

O sistema de crenças é muito importante para cada um de nós; se acreditamos que podemos fazer, que realmente somos capazes de fazer, faremos, e se acreditamos não ser possível, é enviada uma mensagem ao inconsciente formando a crença limitante que o impede de fazer e de desenvolver determinada habilidade.

Claro que fazer uso da razão é importante, ter julgamentos de valor é importante, mesmo porque a nossa razão é formada de crenças e consequentemente julgamentos sobre aquilo que acreditamos ser o certo; para quem tem o certo como primazia.

Mas sabia que somando nossos sentidos temos mais de 1.000.000 de informações e se conseguimos absorver 50.000 destas informações e processá-las é muito?

Para observarmos esses fatores podemos utilizar nossos sentidos.

Temos diversos cheiros onde passamos, ouvimos vários sons, vemos várias coisas além das que estão em nosso foco, tocamos várias superfícies, pensamos em varias coisas, falamos várias palavras durante o dia!

Daí lhe pergunto, você consegue prestar atenção em tudo isso e processar tudo ao final do seu dia?

Quantas coisas ouvimos e não prestamos atenção?

Um carro que freia, um pássaro que canta, uma água que cai, um foguete que estoura, uma máquina ligada, um som do teclado, um celular que toca, uma pessoa que conversa com a outra, um alarme que dispara, um apito, um cano de um carro furado, um estalar de palmas, enfim, só na audição existem milhares de sons que não prestamos a atenção, mas eles fizeram parte do nosso dia.

Estas são as percepções que estão em nosso inconsciente e que marcam a nossa vida, agora some não só o que você escuta, mas o que sua visão periférica enxerga.

O que suas mãos tocam, o vento que sua pele sente, a água que caiu do chuveiro e molhou cada pedaço do seu corpo, que reagiu de forma diferente, o ar que respirou, o cheiro que sentiu ao passar por um lugar que tinha um cheiro ruim, ou em uma loja de perfumes, onde haviam milhares de fragrâncias a serem sentidas, mas, nem todas ficaram registradas por você.

Agora imagine que tem uma Crença sobre algo que lhe foi apresentado e você escolheu dar mais atenção a ela. Você acredita que com esta crença você toma decisões firmes e assertivas.

Imagine se pudesse condensar tudo que experimentou e fazer escolhas, como será que seriam suas crenças/valores com base em todas estas percepções somadas e mensuradas em decisões com base nestas opções?

Acho que iríamos ampliar e muito nossa régua de julgamentos, mas como nem tudo podemos perceber e registrar, nossas escolhas se medem encima do que damos prioridades, ai acabamos restritos à aquilo que entendemos como verdade, mas o que é verdade para você?

Pode ser que a sua verdade não seja a mesma verdade do outro, será que devemos brigar para provar que a nossa verdade é mais absoluta que a verdade do outro?

Para ser bem franco, para entender porque a verdade do outro, é uma verdade para ele, precisariamos experimentar tudo que ele experimentou e fazer as mesmas escolhas de observação que ele fez, para que então pudéssemos operar com o mesmo padrão.

Portanto antes de julgar os atos dos outros, precisaríamos entender quais foram os motivos que o levaram a ter aquilo como verdade. Assim como o outro deveria ter que entender tudo que vivemos para julgar as nossas verdades.

Partindo deste pensamento, podemos entender que não existe certo ou errado, verdade ou mentira, o que existe são entendimentos diferentes por pessoas diferentes; verdades vistas de pontos de vista e vivências distintas.

Numa análise mais profunda, podemos dizer que a única maneira de modificar alguém é tentando fazendo com que essa pessoa decifre suas verdades e coloque essas verdades em prática para buscar identificar seus pontos cegos, aqueles  que vamos descobrindo na nossa caminhada do autoconhecimento. Um processo que tem inicio e não tem fim, que deve ser estabelecido a partir de um proposito pessoal e que sempre podemos levar todo o mundo que nos rodeia!

Não está no outro a definição da minha verdade, a responsabilidade está em mim, de  encontrar dentro de mim mesmo meu entendimento de como eu posso ser melhor, de acordo com meus pensamentos e minhas conquistas, preciso buscar em mim o equilíbrio para minhas mudanças.

Colocar o espírito, o coração, o corpo e a mente para colocar nossa energia em harmonia, para que todos os sentimentos evoluam com plenitude e direção.

Saber onde queremos chegar, faz toda a diferença, traçar um caminho nos ajuda a não desviarmos das nossas metas, nunca se esqueça!

Sonhar e buscar realizar nosso sonho é um desafio constante, são tantas as distrações que nos levam a nos desviar dos nossos sonhos. Por isso devemos fazer aquilo que amamos e buscar entender nossos sonhos com clareza e colocar muita energia para realiza-los. Assim, acredito que podemos mudar um mundo, o nosso!

Mudando o nosso mundo e emanando essa mudança ao mundo de todos, através dos nossos pensamentos positivos, podemos ajudar a fomentar o que desejamos para nós mesmos, sem afetar ninguém. Apenas mandando nosso recado informando que podemos ter mundos melhores se fizermos cada um, a nossa parte.

Portanto não é o outro que muda um, é o um que se modifica com base nas suas vivencias, percepções e verdades colhidas ao longo da vida. Para mudar nosso pensamento, precisamos mergulhar em nossas verdades escondidas em nosso inconsciente, buscar nossas virtudes e caminhar em terrenos ainda não explorados,  para só ai, provocarmos mudanças significativas em nós mesmos, para evoluirmos e atingirmos uma forma melhor de encarar a vida e seus desafios.

Quando mudamos a nós mesmos, estamos preparando o terreno para que os outros mudem a forma de olhar para nós, e acabamos provocando uma mudança no outro, mas não sobre a forma dele pensar, mas sim de observar a mudança em nós.

E quem sabe mudar o seu pensamento no que se refere ao seu entendimento das coisas, da percepção que tinham sobre nós; quem sabe buscar uma mudança em si, para melhorar sua percepção dos problemas e achar novas soluções para seguir em busca dos seus sonhos.

Mude a si mesmo, para aplicar a mudança nos outros.

Márcio Canto

CEO da Silício Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *