Eu já QUEBREI, estou no caminho certo!

Marketing Digital
Eu já QUEBREI, estou no caminho certo!

Olá, inicio hoje com uma reflexão que a maioria das pessoas bem sucedidas contam como sobre alcançaram o SUCE$$O. Falam sobre como já abriram uma empresa, iniciaram um negócio e QUEBRARAM.

Aí agora te pergunto, você já QUEBROU?

Se sua resposta for não, tudo bem, espero que nunca venha a passar por isso, porque além de trazer muitos aprendizados, não é uma experiência agradável de ser vivenciada, mas no meu caso, foi um grande aprendizado!

Deve estar se perguntando, como assim quebrar pode ser bom, deixar de ter uma vida segura, para se ver de repente, totalmente sem nenhum tipo de recurso financeiro?

Respondo-te, o segredo está no MINDSET! Com certeza já deve ter ouvido falar dessa palavra, ela é título de livros, é usada com ênfase em muitas postagens sobre empreendedorismo.

Gosto da seguinte definição:
Mindset é uma palavra da língua inglesa que significa “Mentalidade” ou “Atitude Mental”, ou ainda, “Modelos Mentais”.

Bom, partindo deste princípio, quebrar foi algo realmente difícil, mas foi a forma que recebi da vida como oportunidade para deixar de fazer uma coisa que fazia por DINHEIRO, e então entender que precisava investir em uma coisa que poderia fazer por AMOR.

Entender que o dinheiro precisaria deixar de ser o centro e foco do meu trabalho e enxergar o quão realizado poderia me tornar fazendo algo que hoje faz total sentido e tem elevada significância. Obvio, demorei a chegar a essa conclusão, mesmo porque, às vezes fazemos as coisas no automático, sem ter a real compreensão sobre o que esta mudança está gerando dentro de cada um de nós.

Então, para explicar melhor um pouco da minha história é preciso voltar lá no passado. Trabalhava no CEASA, para quem não sabe o que é CEASA, é a Central de Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro, responsável pelo abastecimento de legumes para a maioria dos estabelecimentos do Rio de Janeiro.

Empreendedor mirim!

Tinha eu meus 13 para 14 anos, andando de bicicleta, uma extra light, para quem não sabe, era a FERRARI das bikes de Cross da época, adorava empinar com ela, mas, um dia subindo a minha rua, vi um Senhor construindo uma loja. Perguntei a ele o que pretendia fazer lá? Ele disse que estava fazendo uma loja para alugar. Olhei bem pra ele e disse: Então o Senhor acaba de alugá-la!
Ele olhou para mim, um menino de 13 para 14 anos, e disse: Mas para alugar, você teria que ser para um adulto! Fui pra casa e pedi então que meu pai fosse até a loja ainda em
construção comigo. Alugamos o imóvel e ai começava minha primeira façanha em EMPRENDEDORISMO.

Naquela época nem sabia o que estava fazendo exatamente, hoje, vejo claramente que já era um empreendedor. Como meu pai tinha caminhões e levava legumes para o Rio de Janeiro, montamos uma quitanda, assim era chamada naquela época, hoje tem nomes mais modernos, mas, continuam fazendo a mesma coisa, vendendo legumes!

Vendedor no Ceasa!

Terminando meus estudos, me formando no 2º grau, como era chamado naquela época, estamos falando ai de quase 28 anos que já se passaram. Tinha duas opções, ESTUDAVA, fazia uma faculdade ou ia trabalhar com meu pai no CEASA. Optei por ir trabalhar com meu pai.

Foram bons anos de aprendizado. Até gostei de conhecer os legumes, aprender a vender, lidar com clientes. O que era um grande desafio para mim, era o horário de trabalho, as longas viagens diárias para trabalhar no Rio de Janeiro. Os anos foram passando e fui crescendo e me tornando uma pessoa conhecida naquele mercado, mas por levar o coração para os negócios, aprendi a grande lição que nunca mais esqueci. Nunca devemos agir puramente com o coração nos negócios!

Ao fazermos isso, acreditamos que iremos encontrar pessoas que sejam iguais a nós, comprometidas e honestas, quando na verdade, muitas vezes nos deparamos com pessoas totalmente oportunistas. Foi ai que me encontrei com a palavra que nunca havia passado na minha cabeça e que um dia iria conjugar no presente: QUEBREI!

Jogador de futebol!

Mais um tempo se passou, tive a chance de seguir a carreira de jogador de futebol; era um bom jogador, mas desisti, será porque? Acho que foi por não usar adequadamente meu MINDSET, nem sabia nada à respeito naquela época.

Sabia jogar, estava treinando no América e tinha tudo para ser um jogador de futebol de sucesso, mas como previa meu treinador, senhor Djalma, para ser jogador de futebol, seria melhor que eu tivesse aquilo como a minha esperança de melhorar de vida, mas, como eu vinha de família “rica” não suportaria as dificuldades e desafios que teria que enfrentar até alcançar o êxito.

E ele estava certo, não seguir na carreira de atleta profissional. Contudo, nunca me arrependi disso, nunca fui muito ligado realmente em futebol, apenas tinha DOM e sabia jogar. Podemos aprender a jogar futebol, mas, se destaca quem tem além de DOM, muita determinação. Não era o que tinha dentro de mim em relação ao futebol.

Bem, a vida continuou, me formei no colégio e fui trabalhar com meu pai, era mais cômodo, já tinha toda a estrutura, já tinha uma colocação e assim prossegui. Só que a vida muda, os
hábitos mudam, a forma como as pessoas se alimentam mudam. Além de vender muitos legumes, os clientes que meu pai atendia que eram em sua maioria feirantes, antes compravam 50 caixas de alguma coisa e passaram a comprar 5 apenas. Em seguida vieram os Supermercados, impactaram na venda dos feirantes, depois os sacolões, para quem nunca viu um, eram vendidos todos os legumes a um único preço, prejudicando assim, os feirantes e em consequência, diminuindo nossa venda!

De volta ao Ceasa, ainda antes de quebrar!

A vida seguia, com menos vendas, mas, ainda se vendia relativamente bem. Aprendi minha primeira lição, não se deve confiar totalmente nas pessoas. O que antes era no fio do bigode a confiança, vender acreditando na palavra dada por cada cliente, se tornou em um caminhão de cheques sem fundos, e como não éramos tão “ricos” mais, como pensava o seu Djalma, meu antigo treinador, QUEBREI!
Foi ai que aprendi minha segunda lição, os amigos, desapareceram no momento em que não tinha mais nada para oferecer. E optei por seguir outro caminho, aprendi a ser mais HUMILDE, mais HUMANO, assim como me enxergo hoje.

Retornei tempos depois ao CEASA, saí de um Saveiro para um 1214; para quem não sabe é, um caminhão, isso mesmo, fui motorista de caminhão, tempo bom, adorava dirigir! Fui trabalhar na PEDRA, um lugar onde os produtores revendiam seus produtos, cresci bastante. Até meu tio me chamar para fornecer ao Carrefour em uma sociedade! Iniciamos com a loja da barra, fui o fornecedor de todas as lojas do Carrefour por um bom tempo; um tempo de aprendizado e descoberta, mas por alguns fatores alheios a minha vontade, mesmo sem quebrar, acabei saindo deste negócio.
Foi ai que decidi que não ia mais trabalhar no CEASA.

Fui trabalhar na implantação da ISO 9001 na empresa de um amigo, e estudei direito, pensando em fazer concurso, para nunca mais precisar pegar cheques de ninguém e não precisar ter sócios. Assim meu Mindset estava programado naquela época.

O plano era bom, mas como disse, faltava o MINDSET, porque novamente estava buscando estabilidade, mas não fazer algo por AMOR.

E aí foi a grande virada da minha vida, descobri o MARKETING DIGITAL. Depois de fazer muitas tentativas, onde conseguia sempre sobressair, até ganhei algum dinheiro, vi que faltava alguma coisa, que ainda não entendia muito bem o que era. Hoje vejo claramente, faltava o MINDSET devidamente programado e alinhado com meus valores e crenças.

Sei que resumir uma vida de 46 anos em um texto é quase impossível, mas, o que quero deixar bem claro aqui é que para se atingir o SUCE$$O, precisamos realizar algo importante, não para os outros em uma primeira abordagem, precisamos fazer algo, para nós mesmos. Isso tudo para mudar sua forma de envolvimento em negócios em que você não está apaixonado, faz apenas por fazer, ou por necessidade.

Quando encontramos aquilo que realmente gostamos de fazer, trabalhar, se torna mais leve, aprendemos com o passar do tempo a seguir em frente, buscar nossos SONHOS, ACREDITAR que vamos nos tornar melhores e aí sim, o SUCE$$O, será garantido.

Isso porque se para muitos, o SUCE$$O é medido pela conta bancária, para outros o SUCE$$O é medido pela satisfação de fazer o que se gosta. Tenho certeza que estou no caminho certo. A primeira etapa já passei, que foi a de QUEBRAR, mas, isso só me fez crescer, como pessoa e também mudou minha forma de ver a vida.

Meu foco atual é fazer com que as empresas se desenvolvam mais e mais, utilizando ao máximo todo o background que construí ao longo desses anos, estudo que adquiri, foco no que quero atingir, conhecimento que busquei. Fazer com que outras empresas também descubram que temos que ter um MINDSET alinhado com nossos objetivos. Hoje me dedico contribuir e AJUDAR as empresas e pessoas, a CRESCEREM, porque essa é a missão que escolhi para minha vida.

Lições que tirei disso tudo: O meu maior INIMIGO foi o meu PENSAMEMENTO, se eu me alinho com ele, vou onde nunca sonhei, pois, a força do nosso pensamento nos leva a caminhos que nem imaginamos!
Deixo aqui um conselho aos empresários, trabalhem seu MINDSET, busquem abrir a mente para a revolução que estamos vivendo neste mundo tecnológico.

As pessoas andam nas ruas, olhando para baixo, reparem ao seu redor, os outdoors, estão dentro dos dispositivos móveis, se sua empresa não estiver ali, você está fadado ao fracasso, porque seu concorrente está lá. Ele sairá na sua frente, e quem sai na frente, sempre tem uma grande vantagem.

Ainda não sei exatamente aonde o futuro vai me levar, mas nunca estive tão certo sobre o caminho a seguir. Hoje minha moeda de medição é minha realização pessoal, minha qualidade de vida.
Aprendi que se tem algo que nunca poderão tirar de mim é o meu CONHECIMENTO. Sigo estudando e aprendendo a cada dia sobre como melhorar a minha vida e como contribuir para melhorar a vida das outras pessoas. Farei o que estiver ao meu alcance para fazer a vida das pessoas melhores, isso faz com que tenha meu MINDSET alinhado com meus objetivos. Daqui a alguns anos vou visitar este texto é ver se estava realmente no caminho certo.

Contar nossas VITÓRIAS é fácil, mas falar de nossas derrotas é muito mais complicado. Contudo, quando temos a certeza de que as derrotas, os erros, as dificuldades, apenas fazem parte do caminho; contribuem para entendermos onde de fato queremos chegar, tudo fica mais fácil. Aprenda com seus erros, levante se cair, siga seu SONHO! No futuro vai ver que só dependia de uma decisão, modelar seu PENSAMENTO para saber onde realmente DESEJAVA chegar!

Te encontro na próxima reflexão!

Siga nossa revista da Silício Publicidade, aqui eu aproveito para passar o que aprendi e o que vivi, para quem sabe, te AJUDAR A CRESCER!

Te encontro na próxima reflexão!

Texto: Márcio Canto

CEO da Silício Publicidade